English|Português|Deutsch

Afonso Lopes Vieira, o poeta nacionalista

Fernando Pessoa

O ʺNotíciasʺ Ilustrado , 3 de junho de 1928, p. 8.

Afonso Lopes Vieira, O Poeta Nacionalista,

É alvo de uma homenagem dos seus amigos: uma missa nos Jeronimos e um banquete a bordo da fragata, «Deus te guie», no Tejo, em frente á Torre de Belem.

Vae partir para o Brasil, em uma alta e simbolica missão da Patria, o poeta Afonso Lopes Vieira. Vae levar ao Chefe do Portugal Novo, em nome do Chefe do Portugal Antigo, o sinal da esperança comum a tudo quanto é Portugal.

O livro, para cuja oferta se afasta de nós, é o de Luiz de Camões, cantor de El-Rei D. Sebastião. O fim, para que olham todos os destinos do Povo, a que pertence esse cantor, fechou-os o sapateiro Bandarra na evocação ante-póstuma do mesmo D. Sebastião.

Afonso Lopes Vieira partindo-se, leva consigo, involuntariamente, o designio obscuro transcrito pelo Bandarra.

O poeta Afonso Lopes Vieira, sebastianista quer o queira, quer não, vae levar ao Brasil um um poema claro que é uma carta escura ― uma carta decifrada cuja decifração não haverá muitos que façam ― nem o que a envia, nem o que a recebe, nem porventura o que a transmite.

A hora da designação da mensagem, na conferencia publica com que a esclareceu, foi a de 29 de Maio de 1928, designada na profecia menor da Pyramide como a do aviso Liminar, que uns entenderam mal e outros peior.

O interprete inglez David Davidson, The Great Pyramid: its divine message , CFP 1-36 das polegadas da Pyramide, regista, sem que a explique, a data de 1557 como aviso Central da Historia. De este ano nada resa a Historia, senão que nele começou a reinar El-Rei D. Sebastião.

O poeta Afonso Lopes Vieira apresentou, na data antecipadamente designada, o sinal antecipadamente designado.

Vae levar ao Portugal Novo, não a mensagem, mas a chamada, do Portugal Inteiro.

O resto é com Deus

Texto recuperado por Manuela Parreira da Silva (Silva, 1996 p. 58). A atribuição de autoria decorre do confronto com o manuscrito BNP 125A-26 a 29, praticamente idêntico ao texto publicado. O texto foi integrado em Sebastianismo e Quinto Império ( Pessoa, 2011, pp. 156-158).

Afonso Lopes Vieira, O Poeta Nacionalista,

É alvo de uma homenagem dos seus amigos: uma missa nos Jerónimos e um banquete a bordo da fragata, «Deus te guie», no Tejo, em frente à Torre de Belém.

Vai partir para o Brasil, em uma alta e simbólica missão da Pátria, o poeta Afonso Lopes Vieira. Vai levar ao Chefe do Portugal Novo, em nome do Chefe do Portugal Antigo, o sinal da esperança comum a tudo quanto é Portugal.

O livro, para cuja oferta se afasta de nós, é o de Luís de Camões, cantor de El-Rei D. Sebastião. O fim, para que olham todos os destinos do Povo, a que pertence esse cantor, fechou-os o sapateiro Bandarra na evocação antepóstuma do mesmo D. Sebastião.

Afonso Lopes Vieira partindo-se, leva consigo, involuntariamente, o desígnio obscuro transcrito pelo Bandarra.

O poeta Afonso Lopes Vieira, sebastianista quer o queira, quer não, vai levar ao Brasil um um poema claro que é uma carta escura — uma carta decifrada cuja decifração não haverá muitos que façam — nem o que a envia, nem o que a recebe, nem porventura o que a transmite.

A hora da designação da mensagem, na conferência pública com que a esclareceu, foi a de 29 de maio de 1928, designada na profecia menor da Pirâmide como a do aviso Liminar, que uns entenderam mal e outros pior.

O intérprete inglês David Davidson, The Great Pyramid: its divine message, CFP 1-36 das polegadas da Pirâmide, regista, sem que a explique, a data de 1557 como aviso Central da História. De este ano nada reza a História, senão que nele começou a reinar El-Rei D. Sebastião.

O poeta Afonso Lopes Vieira apresentou, na data antecipadamente designada, o sinal antecipadamente designado.

Vai levar ao Portugal Novo, não a mensagem, mas a chamada, do Portugal Inteiro.

O resto é com Deus…

Texto recuperado por Manuela Parreira da Silva (Silva, 1996 p. 58). A atribuição de autoria decorre do confronto com o manuscrito BNP 125A-26 a 29, praticamente idêntico ao texto publicado. O texto foi integrado em Sebastianismo e Quinto Império ( Pessoa, 2011, pp. 156-158).
  • Names

    • Afonso Lopes Vieira
    • D. Sebastião
    • David Davidson
    • Deus
    • Gonçalo Annes Bandarra
    • Luiz de Camões

    Titles

    • The Great Pyramid: its divine message