English|Português|Deutsch

Iniciação

Fernando Pessoa

Presença 35,

Março-Maio de 1932, p.2.

INICIAÇÃO

Não dormes sob os ciprestes,
Pois não ha sono no mundo.
·····················
O corpo é a sombra das vestes
Que encobrem teu ser profundo.
Vem a noite, que é a morte
E a sombra acabou sem ser.
Vais na noite só recorte
Igual a ti sem querer.
Mas na Estalagem do Assombro
Tiram-te os Anjos a capa.
Segues sem capa no ombro,
Com o pouco que te tapa.
Então Arcanjos da Estrada
Despem-te o deixam-te nu.
Não tens vestes, não tens nada:
Tens só teu corpo, que és tu.
Por fim, na funda caverna,
Os Deuses despem-te mais.
Teu corpo cessa, alma externa,
Mas vês que são teus iguais.
………………………..
A sombra das tuas vestes
Ficou entre nós na Sorte.
Não estás morto entre ciprestes.
………………………..
Neófito, não ha morte.

FERNANDO PESSOA

Iniciação Fernando Pessoa Edição, Transcrição Pedro Sepúlveda Transcrição Pablo Javier Pérez López Modelagem de dados, Codificação Ulrike Henny-Krahmer Codificação Sviatoslav Drach Consultoria Institut für Dokumentologie und Editorik (IDE) Universidade Nova de Lisboa, Instituto de Estudos de Literatura e Tradição (IELT) Cologne Center for eHumanities (CCeH) 2017 Pessoa_Iniciacao.xml Iniciação Iniciação Fernando Pessoa Presença Março-Maio de 1932 35 2 Poesia

INICIAÇÃO

Não dormes sob os ciprestes,
Pois não ha sono no mundo.
·····················
O corpo é a sombra das vestes
Que encobrem teu ser profundo.
Vem a noite, que é a morte
E a sombra acabou sem ser.
Vais na noite só recorte
Igual a ti sem querer.
Mas na Estalagem do Assombro
Tiram-te os Anjos a capa.
Segues sem capa no ombro,
Com o pouco que te tapa.
Então Arcanjos da Estrada
Despem-te o deixam-te nu.
Não tens vestes, não tens nada:
Tens só teu corpo, que és tu.
Por fim, na funda caverna,
Os Deuses despem-te mais.
Teu corpo cessa, alma externa,
Mas vês que são teus iguais.
………………………..
A sombra das tuas vestes
Ficou entre nós na Sorte.
Não estás morto entre ciprestes.
………………………..
Neófito, não ha morte.

FERNANDO PESSOA