English|Português|Deutsch

Escripto num livro abandonado em viagem

Álvaro de Campos

Presença 10,

15 de Março de 1928, p.2.

Escripto num livro abandonado em viagem

Venho dos lados de Beja.
Vou para o meio de Lisboa.
Não trago nada e não acharei nada.
Tenho o cansaço anticipado do que não acharei,
E a saudade que sinto não é nem no passado nem do futuro.
Deixo escripta neste livro a imagem do meu designio morto:
Fui, como hervas, e não me arrancaram.

Alvaro de Campos.

Escripto num livro abandonado em viagem Álvaro de Campos Edição, Transcrição Pedro Sepúlveda Transcrição Pablo Javier Pérez López Modelagem de dados, Codificação Ulrike Henny-Krahmer Codificação Alena Geduldig Consultoria Institut für Dokumentologie und Editorik (IDE) Universidade Nova de Lisboa, Instituto de Estudos de Literatura e Tradição (IELT) Cologne Center for eHumanities (CCeH) 2017 Campos_Escrito_num_livro_abandonado_em_viagem.xml Escripto num livro abandonado em viagem Escripto num livro abandonado em viagem Álvaro de Campos Presença 15 de Março de 1928 10 2 Poesia

Escripto num livro abandonado em viagem

Venho dos lados de Beja.
Vou para o meio de Lisboa.
Não trago nada e não acharei nada.
Tenho o cansaço anticipado do que não acharei,
E a saudade que sinto não é nem no passado nem do futuro.
Deixo escripta neste livro a imagem do meu designio morto:
Fui, como hervas, e não me arrancaram.

Alvaro de Campos.