English|Português|Deutsch

Gomes Leal

Fernando Pessoa

Notícias Ilustrado,

28 de Outubro de 1928, p.7.

GOMES LEAL

Sagra, sinistro, a alguns o astro baço.
Seus trez anneis irreversiveis são
A desgraça, a amargura, a solidão...
Oito luas fataes fitam do espaço.
Este, poeta, Apollo em seu regaço
A Saturno entregou. A plumbea mão
Lhe ergueu ao alto o afflicto coração,
E, erguido, o apertou, sangrando lasso.
Inuteis oito luas da loucura
Quando a cinctura triplice denota
Solidão, e desgraça, e amargura!
Mas da noite sem fim um rastro brota,
Vestigio de maligna formosura...
É a lua além de Deus, algida e ignota.

FERNANDO PESSOA

Poema republicado em Cancioneiro do 1º Salão dos Independentes, 1930, p. 22, com diferenças ortográficas e de pontuação. Apresentamos aqui as imagens de ambas as publicações.